2

Ovídio e suas lamúrias

Quando Ovídio foi condenado pelo imperador Augusto ao exílio no litoral do Mar Negro, de lá enviou a Roma duas obras — Tristia (Cantos tristes) e Epistulae ex Ponto (Cartas Pônticas) — cujo objetivo era comover familiares, amigos e o imperador, de maneira que Augusto lhe permitisse viver o degredo em local mais aprazível, e os…

Jacob Burckhardt
4

Jacob Burckhardt e a democracia dos medíocres

Ler as Cartas de Jacob Burckhardt, escritas entre 1838 e 1897, é conhecer um homem completo. Ele não foi apenas o compulsador de arquivos empoeirados, trabalho cuja importância aprendeu com Leopold von Ranke, mas também desenhista, compositor, pianista, amante dos vinhos e da ópera, principalmente de Verdi, excelente observador dos costumes e eterno insatisfeito consigo…

3

Cinema e literatura

Voltei a pensar nas possíveis conjunções entre cinema e literatura quando meu amigo Sérgio de Souza, que mantém o blog “O Camponês”, pediu-me, há algumas semanas, a lista dos meus filmes prediletos. Não consegui, naquela oportunidade, por absoluta falta de tempo, escrever comentários que justificassem minhas escolhas. E também não farei isso aqui. Meu objetivo…

contos extraordinários rodrigo gurgel
0

7 contos extraordinários

Em minha relembrança de alguns contos extraordinários, gostaria de começar por (1) “Eveline”, de James Joyce, narrativa que utilizo em uma de minhas aulas da Oficina de Escrita Criativa. Trata-se de uma narrativa curta, concentrada na personalidade da jovem que, em grande parte do texto, permanece sentada à janela, “a cabeça apoiada na cortina, aspirando…

a beleza salvará o mundo gregory wolfe rodrigo gurgel
7

A beleza salvará o mundo

Não me lembro como descobri A beleza salvará o mundo, de Gregory Wolfe. A Internet é floresta densa, repleta de sendas obscuras, semelhantes às de uma história infantil, nas quais, de página a página, de link a link, nos perdemos sem conseguir refazer o caminho inicial. Numa dessas pesquisas aleatórias, cheguei ao site de Wolfe…

Joseph Conrad - 11 contos exemplares
3

11 contos exemplares

Separei hoje 11 contos exemplares. Talvez não para todos — mas para mim, com absoluta certeza. Não são exemplos geniais. Alguns assemelham-se àqueles doces da infância, organizados com certa displicência no balcão do confeiteiro e que não despertam nossa gula — mas quando decidimos experimentá-los, seu sabor explode na boca, a sensação de reconforto inunda nosso…

livros que mudaram minha vida rodrigo gurgel
12

10 livros que mudaram minha vida

De Euclides da Cunha, 1. Os Sertões foi o primeiro livro que estudei com o olhar de leitor malicioso — não no sentido de “má índole”, o mais comum entre nós, infelizmente, mas no sentido de “astúcia”, “sagacidade”. A motivação veio de Paulo Vieira, meu professor de português no velho Instituto de Educação, em Jundiaí….

oswald de andrade rodrigogurgel
0

Oswald de Andrade: galimatias, nada mais

Publicado em 1933, Serafim Ponte Grande é a tentativa de levar ao paroxismo o que Oswald de Andrade fizera em Memórias Sentimentais de João Miramar, de 1924. A receita da prosa experimental está completa nas aventuras do funcionário público paulistano: narrativa fragmentada, mudança abrupta de narradores, mescla de gêneros literários, automatismo, neologismos, subversão da linguagem…

ariana igor gielow boa história
0

“Ariana” — ou a liberdade para contar uma boa história

Num mercado editorial em que predominam narrativas fragmentadas, herméticas ou repletas de nonsense, encontrar uma boa história tornou-se exercício cansativo, desgastante. Não me refiro ao romancinho água-com-açúcar ou ao thriller feito de encomenda para se tornar best-seller, mas a histórias que não tratam o leitor como idiota ou querem transformá-lo, à força, num decifrador de…

Humberto de Campos ama a própria voz
3

Humberto de Campos ama a própria voz, não a literatura

Humberto de Campos é desses raros polígrafos da literatura brasileira — semelhante a Coelho Neto no volume de escritos e no esquecimento a que foi condenado. Ambos, aliás, maranhenses. Contista, cronista, biógrafo, poeta, crítico e memorialista, sua obra não recebeu leitura e julgamento abrangentes, muito menos definitivos. O que também não acontece nesta análise, restrita…