5 motivos para cursar uma Oficina de Escrita Criativa

Quais as razões para cursar uma Oficina de Escrita Criativa?

Se nenhuma Oficina de Escrita Criativa tem o poder de transformar o aluno, num passe de mágica, em escritor, para que serve esse curso?

Se nenhuma Oficina de Escrita Criativa pode conceder ao aluno, em poucas semanas, alguma capacidade rara de se expressar, qual a utilidade de participar das aulas?

É verdade: nenhum curso pode fazer com que o aluno ingresse, de repente, numa categoria iluminada de seres humanos.

Faço questão de sempre ressaltar essas impossibilidades, principalmente quando falo sobre o trabalho que desenvolvo em minha própria Oficina de Escrita Criativa — e quando abro inscrições para novas turmas, como está ocorrendo agora.

Mas se os milagres não acontecem, para que serve uma Oficina de Escrita Criativa?

1. Para dar complexidade às nossas narrativas

Estamos sempre compartilhando histórias, ainda que façamos isso, a maior parte do tempo, de forma inconsciente. Somos contadores de histórias; estamos sempre compondo narrativas e transmitindo-as a nossos familiares, a nossos amigos.

Em minha Oficina de Escrita Criativa, levo o aluno para além dessa constatação — e faço com que ele, ao se tornar consciente dessa habilidade, compreenda como, em literatura, é possível carregar suas narrativas de tensão, humor, ironia, dramaticidade.

Esse trabalho de ensinar como uma narrativa pode ser mais complexa não se resume a meras técnicas de estímulo à imaginação, mas abrange refletir sobre a condição humana, questionar a si próprio e observar a realidade com um novo olhar.

2. Para exercitar o domínio da linguagem

Oficina de Escrita Criativa

Aula após aula, o aluno é desafiado por grandes autores — desafiado a, conhecendo cada um deles, criar seu próprio estilo, sua própria voz.

Transformar a habilidade para contar histórias numa prática consciente exige, portanto, um aprofundamento da autoconsciência — mas também exige maior precisão ao utilizar a linguagem, bem como o estudo dos elementos que compõem uma boa história.

Ao conhecer cada um desses elementos — em contato com textos fundamentais da literatura — e analisar de que maneira importantes escritores trabalharam, o aluno desperta para a necessidade de ter uma linguagem mais rigorosa, o que também é uma forma de clarificar o pensamento.

Isso, aliás, nos recorda o sentido da palavra “aptidão”: não apenas uma disposição inata, mas uma habilidade que, em literatura, se aperfeiçoa à medida que estudamos e exercitamos o domínio da linguagem.

3. Para criar diferentes “eus”

Observar a realidade com um novo olhar e ampliar sua autoconsciência leva o aluno a adquirir também uma compreensão mais profunda dos outros, dos seus semelhantes. Sem ela, é impossível construir narradores e personagens convincentes.

O escritor precisa saber quem narra a história que ele deseja contar e quem a vivencia: quais os valores, os preconceitos, as contradições, os sentimentos do narrador e dos personagens?

Procuro fazer, assim, com que o aluno alcance uma nova forma de empatia, por meio da qual possa viver e analisar os fatos sob diferentes perspectivas, como se carregasse consigo diferentes “eus”.

4. Para reeducar a atenção

Quando estudamos os elementos acima — não a partir de teorias, mas da leitura de textos fundamentais —, o aluno compreende como estilos literários diversos expressam estados de espírito ou características pessoais que podem ou não ser semelhantes.

Aula após aula, o aluno é desafiado por esses grandes autores — desafiado a, conhecendo cada um deles, criar seu próprio estilo, sua própria voz.

Trata-se de um reaprendizado da leitura, de uma reeducação da atenção — um mergulho indispensável para perceber, no texto e na realidade, os pormenores que quase sempre nos escapam.

5. Para cultivar a determinação

É fundamental saber que a escrita exige disciplina, exige um comportamento metódico. Como tudo na vida, se não aprendemos a ser perseverantes, não nos desenvolvemos.

É preciso ter consciência de que escrever não é fácil — e que aptidão ou talento são inúteis se não há determinação.

***

Estas 5 razões resumem o trabalho que desenvolvo em minha Oficina de Escrita Criativa. Mas você pode conhecer também o depoimento de alguns de meus alunos.