Antoine Albalat e a arte de escrever bem

As lições de Albalat, ainda que escritas no final do século 19, continuam válidas, atuais.

As lições de Albalat, ainda que escritas no final do século 19, continuam válidas, atuais.

É possível reunir, num único livro, duas renomadas figuras do mundo literário e lingüístico, ainda que escrevam em idiomas diferentes?

No mundo da tradução, tudo é possível.

Em A arte de escrever em vinte lições, que acaba de ser reeditado pela Vide Editorial, seu autor, o injustamente esquecido Antoine Albalat, tem a honra de ser traduzido pelo filólogo, dicionarista e escritor Cândido de Figueiredo.

Além de ser autor do Novo Dicionário da Língua Portuguesa, de 1899 (e até hoje reeditado), Cândido, dentre outros méritos, trabalhou com a filóloga e crítica literária Carolina Michaëlis de Vasconcelos para fixar as bases da nossa ortografia.

Albalat recebeu, portanto, uma tradução que não o trai, não o desmerece.

É evidente que o leitor não encontrará neste A arte de escrever em vinte lições o português de hoje — diminuído, na sua capacidade expressiva, por ficcionistas, poetas e acadêmicos que escrevem como se marretassem pedras —, mas descobrirá o português eterno. Ou melhor: as infinitas possibilidades que nossa língua oferece para construir beleza.

O que podemos dizer sobre o trabalho de Albalat?

Algumas de minhas reflexões se encontram na Apresentação que escrevi para o livro, sob o título provocativo de “Anti-Albalat”.

Mas há dois pontos fundamentais.

Primeiro, as lições de Albalat, ainda que escritas no final do século 19, permanecem válidas, atuais. Ele possui bom senso, aguda percepção do que é escrever bem.

Segundo, como afirmo na Apresentação, é preciso ler os exemplos, seguir as escolhas de Albalat sem jamais esquecer o que ele próprio ensina: “A arte não é estacionária”.

A arte de escrever em vinte lições só pode ser comparado ao clássico The Elements of Style, o famoso Strunk & White, que, desde o início do século 20, introduz os estudantes de língua inglesa no mundo da escrita.

Disputada, nas últimas décadas, a socos e pontapés nos sebos, a dupla Alabalat-Cândido de Figueiredo está de volta. Vamos aprender com ela.



'Antoine Albalat e a arte de escrever bem' have 2 comments

  1. 9 fevereiro, 2015 @ 23:00 Anttonio Amoedo

    The Elements of Style é um livro que li enquanto aprendia a escrever em inglês e se tornou um livro referência pessoal para se escrever em qualquer língua. Livro fantástico. O A Arte de Escrever não conheço, descobri contigo e logo devo adquirir. Fiquei curiosíssimo!

    Reply

  2. 27 agosto, 2015 @ 13:00 Rodrigo Gurgel

    Boa idéia de post, Darwin. Vou pensar sobre o texto. Obrigado!

    Reply


Would you like to share your thoughts?

Your email address will not be published.