Rodrigo Gurgel

0

A solidão definitiva

Ele declamava Baudelaire em francês, ressaltando os mínimos segmentos dos versos, das palavras, o significado adormecido nos fonemas. Poucos gestos acompanhavam a voz rouca, desprovida de veemência. A meia-voz, movendo delicadamente os dedos da mão direita, sem erguê-la acima da cintura, olhando através de nós, fazendo leves meneios com a calva aureolada de cabelos brancos,…

Duas formas de amar Stendhal
4

Duas formas de amar Stendhal

Leonardo Sciascia e Giuseppe Tomasi di Lampedusa representam duas formas de amar Stendhal. Não deixa de ser curioso que esses dois sicilianos, diferentes em tudo — origem social, preferência política, estilo — tenham admirado o mesmo escritor. Mas não há explicações racionais para o amor. Lampedusa tinha predileção pela França. Segundo um de seus biógrafos, David Gilmour, o…

escritor diante da vida
1

Van Gogh e o escritor diante da vida

Todo artista descobre, por meio da dedicação constante, graças à insistência com que se empenha diariamente, um método de trabalho. Essa técnica, essa forma de proceder, não é concedida ao escritor como um dom mediúnico, mas pressupõe esforço, empenho. Ou seja, anterior ao método de trabalho, há, necessariamente, um determinado comportamento do escritor diante da…

os que nunca morrerão
7

Os que nunca morrerão

Não me recordo de tê-la visto um único dia sem o vestido preto. Altiva, digna, afável mas imperiosa, o luto era seu emblema, o pendão de nobreza por meio do qual ostentava seus valores — os que nunca morrerão. Ela não se escandalizava por saber que era próprio da maioria corromper-se, mentir, difamar. Não lhe…

Perscrutadores da verdade

“O homem não pode se contentar com uma simples e tolerante troca de céticas opiniões e experiências de vida: todos somos perscrutadores da verdade e compartilhamos este profundo anseio, sobretudo neste nosso tempo em que, ‘quando as pessoas trocam informações, estão já a partilhar-se a si mesmas, a sua visão do mundo, as suas esperanças,…

Desperdício

O populismo é mestre em esbanjar dinheiro público de maneira irresponsável. O Vale Cultura, aprovado na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, só reafirma como é fácil fazer demagogia com o dinheiro dos contribuintes e ainda rotulá-la de “política de incentivo à cultura”. O dinheiro poderá ser usado, inclusive, para se comprar revistas, jornais…

0

“Ningún escritor es bueno hasta que no aprende a corregir” Acabo de ler o último número da Revista Narrativas, cuja epígrafe já é um convite à leitura: “Ningún escritor es bueno hasta que no aprende a corregir”, de Enrique Vila-Matas. A publicação, em pdf, oferece resenhas, contos, entrevistas, ensaios e informações diversas sobre o mercado…

2

Delicada Ivanira Ela entrou na classe usando roupas sóbrias, quase impessoais, de cores suaves, sondando cada um de nós com seus olhos castanhos, sempre iluminados. Era pequena, frágil, quebradiça, as unhas bem-feitas; e quando se apresentou, ouvimos a voz branda, leve, cuja melodia compôs, somando-se ao sorriso e às outras características, a figura daquela que,…

0

Tão semelhante ao Brasil… Durante esta última semana, realizou-se em Sevilha, Espanha, com o apoio da Editora Seix Barral e da Fundação José Manuel Lara, um Encontro de Novos Narradores. Os comentários do jornalista José Andrés Rojo – que, entre 1997 e 2001, foi o coordenador das páginas de livros do jornal El País, passando,…

0

Bruno Tolentino (1940-2007) Talvez Vem quase todo diaaquela hora muito lenta, aquelaoscilação da hora friaem que a sombra amarela do dia embobinado na procelabalança, assume a forma esguiade um casulo, e sugere a agoniade algum verme: antecipa-se a bela, a futura, a perene borboleta,e é como a eternidadeque se insinua, a esquiva silhueta pairando como…

0

Hermann Broch A Editorial Igitur acaba de lançar, na Espanha, uma edição das poesias completas de Hermann Broch. À parte o fato de estarmos sempre atrasados – e não só em relação ao mercado editorial de língua hispânica -, o lançamento me permitirá ter acesso aos poemas desse escritor magnífico, de pouquíssimos leitores no Brasil,…

0

Miragens de Kafka Na edição do jornal Rascunho deste mês, escrevo sobre quatro livros que analisam a vida e a obra de Franz Kafka, publicados no Brasil nos últimos meses: Kafka, de Gérard-Georges Lemaire (L&PM Editora); Kafka de Crumb, de Robert Crumb e David Zane Mairowitz (Editora Relume Dumará); K., de Roberto Calasso (Companhia das…